10 filmes que você deve assistir se adora ‘The Social Network’

A Rede Social é, sem dúvida, um dos filmes mais inteligentes da década. Dirigido por David Fincher, o filme segue Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg) enquanto ele forma o Facebook e os processos subsequentes movidos contra ele por seu CFO por diluição injusta de ações e os gêmeos Winklevoss por roubo de propriedade intelectual. Rápido, envolvente e visualmente impressionante, o filme é esplêndido em sua execução. Embora seja caracterizado como um drama biográfico, ele se encaixa no modelo emergente moderno de thrillers intelectuais. Embora seja uma experiência de visualização única como nenhuma outra, os filmes a seguir criaram uma experiência semelhante com base em sua ideia, execução do enredo e temas. Dito isso, aqui está a lista de filmes semelhantes a The Social Network que são nossas recomendações. Você pode assistir a alguns desses filmes, como The Social Network no Netflix, Hulu ou Amazon Prime.

10. O jogo da imitação (2014)

Estrelado por Benedict Cumberbatch como o enigmático e brilhante matemático Alan Turing, que desenvolve uma máquina para descriptografar códigos de inteligência alemães para o governo britânico durante a segunda guerra mundial. O filme, com uma atuação brilhante de Cumberbatch, destaca o clima político durante os anos 1940, bem como os preconceitos sociais prevalecentes naquela época. Um herói trágico, mas desconhecido, o filme detalha a carreira de Turing e como sua invenção foi imensamente instrumental para salvar a vida de milhões.



9. The Fifth Estate (2013)

Estrelado por Benedict Cumberbatch como Julian Assange, o editor-chefe e fundador do site de vazamento de notícias WikiLeaks. O filme segue Assange e Daniel Berg (Daniel Bruhl) enquanto eles formam o WikiLeaks e, subsequentemente, a pressão e as críticas que eles enfrentam de vários meios de comunicação depois que começam a vazar documentos confidenciais. Centrado na relação entre Assange e Berg, que começa tão grande, mas gradualmente se torna mais e mais tensa à medida que suas ideologias começam a divergir. O filme em si recebeu recepção mista após o lançamento, mas é um thriller extremamente cativante que definitivamente deveria ser visto.

8. A Beautiful Mind (2001)

Este drama dirigido por Ron Howard segue a vida de John Nash, um matemático que sofre de delírios e esquizofrenia paranóica, mas aos poucos os supera e ganha o Prêmio Nobel Memorial de Economia. O filme, embora simples em sua história e execução, acompanha Nash durante seus primeiros dias na Universidade de Princeton e detalha suas batalhas contra a esquizofrenia paranóica. A beleza do filme está em como ele captura o funcionamento da mente de Nash, seus medos e delírios e até mesmo sua genialidade. No final, sentimos a dor e os medos que Nash sentiu ao longo de sua vida. Embora direto, o filme tem mais coração e emoção do que qualquer uma das outras entradas desta lista e é uma recomendação definitiva para quem gosta de filmes intelectuais.

7. Pirates of Silicon Valley (1999)

Este filme feito para a televisão é freqüentemente esquecido durante a discussão de filmes intelectuais. Esta não é apenas provavelmente a descrição mais precisa de Steve Jobs e Bill Gates, mas também a melhor descrição de sua rivalidade. O filme, ao longo de 26 anos, abrange as carreiras dos dois homens desde o início até 1997 (até o retorno de Jobs para a Apple após a aquisição da NeXT). Inteligente, engraçado e acima de tudo intelectual, o filme é imperdível para qualquer fã dos dois grandes indivíduos que moldaram a face do mundo da computação moderna.

6. Os idos de março (2011)

do escritor Beau Willimon (criador de House of Cards) e do diretor George Clooney, este thriller político estrelado por Ryan Gosling, um gerente de campanha júnior, encontra sua moralidade e seu trabalho ameaçados depois que acidentalmente descobre um escândalo. Exibindo a compreensão brilhante de Willimon dos cenários políticos, o filme também tem uma vibe de House of Card. Assim como a Rede Social, os Idos de Março também abordam temas de traição, raiva e remorso. Terrivelmente subestimado e muitas vezes esquecido, os Idos de Março é uma das melhores peças de personagem que recentemente aterrissou na tela de prata.

5. Michael Clayton (2007)

Estrelado por George Clooney no papel titular, um “consertador” de um escritório de advocacia da cidade de Nova York, que investiga o aparente suicídio de seu colega Arthur Edens, enquanto este último estava lidando com um processo contra um grande conglomerado de produtos agrícolas. Uma experiência de visualização intensa, o filme capta com sucesso nossa atenção e mantém os espectadores absortos até o clímax. A paleta de cores sombrias, a atmosfera tensa e corajosa e a sensação constante de mau presságio não irão lavar nossas mentes, mesmo depois que o filme terminar. Como os idos de março, este filme é frequentemente esquecido quando se trata de thrillers intelectuais.

4. Zodiac (2007)

A recriação de David Fincher dos assassinatos do Zodíaco no final dos anos 1960 é uma entrada definitiva nesta lista. O filme segue a carreira de três indivíduos - um repórter policial, um detetive e um cartunista enquanto tentam solucionar os assassinatos. Situada aproximadamente em duas décadas, “Zodiac” demonstra porque Fincher é um dos melhores diretores profissionais. Desde sua recriação das cenas de crime até seu conhecimento detalhado e íntimo do assunto, Fincher não deixa espaço para erros. Além disso, o filme apresenta performances magistrais de Jake Gyllenhaal, Mark Ruffalo e Robert Downey, Jr como os três protagonistas. Zodiac se sente feito do mesmo tecido que The Social Network e isso não tem a ver com o fato de que o diretor é o mesmo para os dois projetos. Zodiac definitivamente é um dos melhores filmes dessa década.

3. Moneyball (2011)

Outra entrada com Aaron Sorkin como roteirista. O filme é estrelado por Brad Pitt como Billy Beane, o gerente do time de beisebol Oakland Athletics que, com a ajuda de Peter Brand (Jonah Hill), forma um time repleto de jogadores esquecidos usando uma abordagem estatística de seleção de talentos. O gênio do filme está em sua simplicidade. Ao contrário da maioria dos roteiros de Sorkin, o filme é basicamente simples em sua execução. Linear e cronológico, o filme detalha o uso quantitativo da abordagem sabermétrica nas estatísticas do beisebol. O filme destaca a temporada de 2002 do Oakland Athletics, a resistência enfrentada na seleção de jogadores tão discretos e o eventual sucesso da abordagem sabermétrica.

2. Steve Jobs (2015)

Seria lógico que este filme entraria na lista, pois apresenta o mesmo escritor, Aaron Sorkin. Dirigido por Danny Boyle e estrelado por Michael Fassbender como Steve Jobs, o filme também tem uma estrutura de história única. Em vez de ser uma biografia direta, o filme nos leva aos bastidores de três de seus maiores lançamentos de produtos - o lançamento do Mackintosh em 1984, o lançamento do computador NeXT em 1988 e o lançamento do iMac em 1998. Através do personagem interações e diálogos Sorkin-esque, o filme captura de forma brilhante a mentalidade engenhosa e empreendedora do líder visionário. Um brilhante estudo de personagem, o filme faz justiça ao grande homem.

1. The Big Short (2015)

Dirigido por Adam McKay, o filme trata da crise financeira de 2007-08 e de como ela se originou. O filme é estrelado por Christian Bale, Steve Carell, Ryan Gosling e Brad Pitt como quatro pessoas que previram o crash de antemão e lucraram imensamente ao apostar contra o mercado. O filme detalha a corrupção e a ganância prevalecentes entre os grandes bancos e como sua ignorância levou à maior depressão do mundo. É uma abordagem satírica da crise e muitas vezes usa tramas humorísticas para explicar aspectos do mercado financeiro. Sua sátira também destaca a mensagem interna de cautela, pois sugere que algo assim pode acontecer novamente.

Copyright © Todos Os Direitos Reservados | cm-ob.pt