Endings Beginnings Ending, Explained

‘Endings, Beginnings’ segue uma mulher na jornada de autoexploração. Shailene Woodley desempenha o papel de Daphne. Recém-saída de um relacionamento, ela tenta não cair em mais nenhum drama, mas o problema surge quando ela conhece Frank ( Sebastian Stan ) e Jack ( Jamie Dornan ) O filme começa com o triângulo amoroso, mas logo descobrimos que antes, ou melhor, do que escolher entre os homens que disputam seu amor, ela tem que lidar com uma verdade totalmente diferente. No final, estando nesta encruzilhada, ela se sente corajosa o suficiente para tomar essa decisão. Se você ainda não viu o filme, marque este artigo para ver mais tarde. SPOILERS AHEAD

Resumo do lote

Daphne recentemente saiu de um relacionamento sério e também largou o emprego. Essa mudança repentina transtorna sua vida, e ela se refugia com sua meia-irmã para sobreviver à tempestade. Ela promete ficar longe dos homens e do álcool pelos próximos seis meses e se concentrar em recuperar a vida. Seus planos são interrompidos repentinamente quando ela conhece Frank e Jack. Ela se sente atraída por ambos, cada um proporcionando uma vantagem em sua vida. Frank é imprevisível e Jack é estável. Apesar de suas intenções de não se tornar um obstáculo em sua amizade, ela se encontra bem no meio dela. O cabo de guerra se intensifica quando os dois a puxam para seu mundo com igual força. No entanto, chega o momento em que ela tem que decidir o que realmente quer.

O que aconteceu entre Daphne e Jed?



O filme começa em um ponto em que Daphne terminou uma parte significativa de sua vida. Ela estava em um relacionamento com Adrien há quatro anos. Ela diz que ele é uma pessoa maravilhosa e, pelos flashbacks, entendemos que ele está confuso sobre sua decisão. Por que ela o deixou se não havia nada de errado com o relacionamento? O que a levou a desenraizar sua vida bem situada assim? Era apenas sua tendência de pular, como sua mãe? Ou havia mais nessa história?

O passado de Daphne nunca nos é trazido por completo. Os pedaços estão espalhados pelo filme, e cabe ao público colocá-los juntos e entender por que Daphne decidiu romper com um grande cara. No início, parece que foi porque ela se sentiu presa em sua vida. Em um flashback, encontramos Adrien questionando suas decisões irracionais, como de repente deixar o emprego.

Em outra cena, nós a encontramos festejando e ficando alta, e parece que ela traiu Adrien neste momento. No entanto, a imagem fica mais clara quando ela vai dançar com Jack, e sua memória é agitada depois de ver Jed. Acontece que ele se aproveitou de sua intoxicação, e foi isso que a fez deixar o emprego porque não suportava a pessoa que fez isso com ela. Evidentemente, ela não falou sobre isso com Adrien e reprimir suas emoções afetou sua vida e relacionamento.

Um evento como esse traz uma mistura de emoções. Ela pode ter se sentido como se tivesse traído Adrien, ou ela teria se odiado por se colocar em um lugar que levou a tudo desmoronar ao seu redor. Muitas vezes, a autoculpa se apodera de uma pessoa, e Daphne deve ter passado por uma fase semelhante. Esta é a razão pela qual ela decide parar por um tempo com o álcool e os homens.

O Fim: Com quem Daphne acaba?

O fator determinante de muitos filmes de romance que giram em torno de triângulos amorosos é a questão da escolha. Com quem a garota e, em alguns casos, o garoto acabarão? Quem eles vão escolher? Tanto o personagem quanto o público brigam com isso, e muitas vezes, quando o personagem acaba sendo alguém que o público não estava torcendo, tende a decepcionar as pessoas.

‘Finais, Começos’ também brinca com essa questão durante boa parte do filme. Lá está Jack, o intelectual confiável e estabelecido. E então há Frank, volátil, charmoso e aventureiro. No final, entretanto, Daphne faz a escolha que deveria ter feito há muito tempo. É a escolha que ela vinha adiando antes mesmo de conhecer os dois. Toda essa experiência a leva a perceber que deve escolher a si mesma.

Daphne está muito vulnerável na primeira vez que a encontramos. Estar sozinha a assusta; ela não confia em si mesma quando está sozinha. Ela diz que acha difícil dizer não, o que a coloca em apuros com Frank e Jack. Essa indecisão tomou conta de sua vida, evidente quando ela diz a ele que quer fazer todas as coisas que acha que deveria ter feito aos 20 anos.

A maioria das pessoas não tem ideia do que está fazendo ou quer fazer na casa dos 20 anos; o propósito vem com a idade e, frequentemente, o amor-próprio também. A incapacidade de depender de ninguém além de si mesma é o que a impede. Ela procura o amor lá fora e tem medo de olhar para dentro, pelo menos uma vez. Curiosamente, quando ela finalmente encontra algo em que se agarrar, ela o encontra dentro de si mesma - seu filho.

O que importa, no final das contas, é que Daphne dê uma pausa no álcool e nos homens. A gravidez dá a ela o empurrão que ela precisava para se soltar, em vez de encontrar outra corda. Um novo capítulo de sua vida começa.

‘Endings, Beginnings’ traz o círculo completo da história com o desenvolvimento do personagem de Daphne. No início do filme, ela estava se recuperando de um final - seu relacionamento. No final do ano, que é o começo de outro, ela se encontra em outro começo. Ela se apaixona por Jack e Frank ao mesmo tempo. Quando o relacionamento dela termina com os dois, outro começo - sua gravidez - está bem na sua porta. No final do filme, ela está no ponto crucial de um novo começo. O ciclo continua.

Copyright © Todos Os Direitos Reservados | cm-ob.pt