Explicação sobre o que é ‘To Kill A Mockingbird’

O filme ‘To Kill A Mockingbird’ é baseado em um romance de mesmo nome escrito pelo autor americano Harper Lee. O romance é um dos livros mais célebres de sua época. Foi escrito no ano de 1960 e ganhou o Prêmio Pulitzer no ano seguinte. Também foi transformado em um filme no ano seguinte, ou seja, 1962. Esse é o único livro escrito por Harper Lee e ainda é contado entre os melhores livros já escritos. O filme é mais do que uma adaptação decente do romance. É dirigido por Robert Mulligan e estrelado por Gregory Peck no papel principal de Atticus Finch, que é o protagonista do filme. Mary Badham, que interpretou o papel de escoteiro, foi indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante, o que a tornou a atriz mais jovem a ser indicada ao Oscar na época.

O enredo

A trama do filme é totalmente baseada no romance. O filme se passa na década de 1930 em uma cidade fictícia chamada Maycomb, no estado do Alabama. Os habitantes da cidade são bastante coloridos e podemos ver uma série de personagens. Jean Louise Finch, apelidada de escoteira, é uma menina de seis anos. Seu irmão mais velho é Jeremy Atticus Finch e é freqüentemente chamado de Jem. Eles moram com o pai viúvo, Atticus Finch, que é advogado e vai trabalhar em seu escritório no centro da cidade. As crianças ficam em casa e passam o tempo brincando. As crianças são cuidadas pela zeladora negra Calpurnia. As crianças são muito próximas dela. O enredo se concentra principalmente nesses três personagens principais, ou seja, Scout, Jem e seu pai Atticus.



As crianças conhecem Dill Harris, filho de seu vizinho. Eles se divertem jogando juntos. As crianças se interessam bastante pela casa isolada onde Boo (o nome pelo qual as crianças o chamam) Radley sai. Parece que Boo não sai de casa há anos. Dill começa a contar coisas assustadoras sobre ele. Ele diz a Scout e Jem que Bob é mentalmente deficiente e, portanto, seu pai o mantém acorrentado à cama e bate nele. Ele tem cerca de um metro e oitenta de altura e dentes amarelos e podres. Ele apanha esquilos e passarinhos e os come.

Atticus Finch, o pai das crianças, é advogado. Ele é um homem muito honesto que acredita na justiça igual para todos. Ele também é muito bondoso e faz o seu melhor para ajudar as pessoas a obter justiça, mesmo que elas não tenham dinheiro para pagar. Isso é bastante evidente pelo fato de quando Scout vê seu pai aceitando nozes como pagamento por seus serviços de um homem chamado Sr. Cunnigham que não tinha dinheiro para pagar. Atticus também é bastante liberal em sua atitude em relação aos filhos. Ele permite que usem seu primeiro nome para se dirigir a ele. Embora seu pai seja moralmente correto, as crianças ficam sabendo dos horrores que assolam seu sistema social por meio de seu trabalho. Eles aprendem os efeitos adversos do racismo. Por meio dessas experiências, eles aprendem e amadurecem.

Sua vida fácil sofre um duro golpe quando o Juiz da Cidade pede a Atticus para defender Tom Robinson, que foi acusado de estuprar uma garota branca chamada Mayella. Tudo teria sido normal, mas o problema é que Tom é um homem negro e qualquer negro até mesmo acusado de estuprar uma garota branca não seria considerado levianamente. Mas sem pensar no que os espectadores podem dizer, Atticus aceita o caso. Isso torna todos hostis a ele. Mas as repercussões de sua decisão não param por aí. Isso afeta sua família também. As crianças começam a sofrer bullying na escola, e as crianças começam a xingar seus pais. Quando uma criança chama Atticus de 'amante de ni *** r', Scout fica muito bravo e começa a brigar. Mas Atticus mantém a calma e diz a eles que o motivo pelo qual aceitou o caso foi porque acredita que todos têm direito a um julgamento justo. Se ele não aceitar o caso de Tom, ninguém o fará e, portanto, ele não receberá a justiça que merece.

Mas as pessoas na cidade não gostam do envolvimento de Atticus no caso e quando Atticus está na prisão local onde Tom está, uma multidão aparece para matar Tom a qualquer custo. As coisas poderiam ter piorado se Scout, seu irmão Jem e seu amigo Dill não tivessem decidido visitar seu pai. Uma vez lá, Scout reconhece o Sr. Cunnigham na multidão. Sem saber do propósito da turba, ela diz a ele para dizer olá ao filho que estuda na mesma escola que ela. O Sr. Cunningham se sente culpado e envergonhado e junto com a turba deixa a prisão. Assim, sem saber, Scout acaba salvando seu pai e Tom.

Em seguida, somos tratados com uma série de cenas de tribunal onde vemos Atticus fazer o seu melhor para apresentar os fatos do caso na frente do júri. Essas cenas são algumas das cenas mais celebradas do filme. Aqui podemos entender o que realmente aconteceu na casa dos Ewell. O que Mayella Ewell e seu pai Bob Ewell afirmam é que Tom estuprou Mayella e depois bateu nela. Mas Tom apresenta uma versão diferente da história. Ele diz que Mayella pediu que a ajudasse em alguns trabalhos que envolviam a confecção de uma chifra. Uma vez que ele estava lá, ela começou a se forçar a ele, apesar de ele tentar se livrar dela. Enquanto isso, o pai de Mayella, Bob Ewell, entra em cena e vê sua filha tentando forçar Tom. Ele fica com raiva e abusa da filha. Tom fica com muito medo e foge de cena. Antes de sair, ele vê Bib abusando e batendo em sua filha.

A plausibilidade da versão de Tom se a história for confirmada por Atticus ao apresentar certos fatos sobre o caso. Um dos principais fatos foi que Mayella parece ter sido espancada por alguém que usa muito a mão esquerda. Mas Atticus aponta que a mão esquerda de Tom está aleijada. Ele também mostra que Bob Ewell é canhoto e, portanto, não há dúvida de que foi ele quem agrediu Mayella e não Tom. Ele também informa ao júri que um médico não examinou Mayella em busca de quaisquer sinais de estupro. Ele insta o júri a basear sua decisão em fatos e tentar colocar seu preconceito de lado. Mas o júri todo branco não se move mesmo depois de evidências convincentes fornecidas por Atticus e acaba declarando que Tom é culpado de estuprar Mayella. Este foi um duro golpe para Atticus, que realmente pensava que tinha uma chance de obter a justiça que Tom merece. Após o julgamento, todos os brancos se levantam e saem do tribunal, mas os negros ficam, e quando o Atticus começou a sair do tribunal, eles se levantaram para mostrar a ele que apreciavam o que ele havia feito por eles.

Uma das principais razões para a derrota de Atticus foi a simpatia de Tom por Mayella. Ele disse ao júri que sentia pena dela. Essa coisa foi explorada pelo promotor que disse ao júri que ele está tentando ser um homem negro com pena de uma mulher branca. Isso meio que contribuiu para a decisão já ortodoxa que o júri todo branco havia feito. Após o término do processo no tribunal, Atticus vai para casa. Mas sua vida só iria conseguirmais difíceis. Quando ele chegou em casa ele encontrou o xerife Tate, que informa Atticus que Tom Robinson estava morto. Enquanto estava sendo escoltado, Tom se libertou e começou a correr. O policial decidiu atirar para feri-lo. Mas ele acabou matando Tom. O xerife Tate acrescenta que Tom estava se comportando como um louco. Depois de ouvir a notícia da morte de Tom, Atticus sente que é sua responsabilidade, como advogado de Tom, deixar sua esposa saber de sua morte. Ele, junto com seu filho Jem, vai para a casa de Tom. Lá ele dá a notícia da morte de seu marido. Do lado de fora da casa de Tom, Bob Ewell pede a Atticus para sair. Bob então cospe no rosto de Atticus. Atticus permanece calmo e enxuga o rosto com o lenço. Ele então vai para o carro e vai para casa.

O tempo voa e o outono chega. É hora do Halloween, e a escola de Scout e Jem está realizando um concurso de Halloween à noite. Scout se veste de presunto de casca dura, um dos produtos de seu município. Durante o concurso, o sapato e o vestido de Scout foram colocados no lugar errado e, portanto, ela teve que voltar para casa com seu irmão usando sua fantasia de presunto. O traje torna mais difícil para ela andar e sua visão é meio prejudicada com o traje. De repente, um homem começa a persegui-los. Eles começam a correr Scout tem dificuldade em fugir. Ela vê que Jem fica inconsciente, mas quando o homem tenta atacar Scout com sua faca, a fantasia a protege. Em seguida, outro homem não identificado vem em seu socorro. Antes de fugir, Scout vê o segundo homem carregando Jem para sua casa.

Scout corre para sua casa. Lá ela é recebida por seu pai que estava muito preocupado com ela. Scout vê que seu irmão está inconsciente na cama e um médico o está examinando. Ela também vê um homem desconhecido parado perto de Jem. Atticus apresenta o estranho à filha como Arthur Radley. Era o mesmo Arthur Radley a quem costumavam chamar de Boo. Acontece que o segundo homem não identificado que salva Scout e Jem era o próprio Arthur e o homem que os atacou era ninguém menos que Bob Ewell, que era pai de Mayella Ewell e acusou Tom de estuprar sua filha. Para se vingar de Atticus, ele decidiu atacar seus filhos, mas na hora certa Arthur chegou e salvou as crianças.

Atticus presume que foi Jem quem matou Bob em legítima defesa. Mas o xerife Tate diz que não foi Jem quem matou Bob, mas sim Arthur que o matou para salvar as crianças. Mas então o xerife acrescenta que não seria sensato colocar Arthur no centro das atenções e declará-lo como um herói que salvou as crianças. Então, ele começa a recitar um conjunto totalmente diferente de eventos que termina com Bob Ewell caindo em sua própria faca e morrendo, mantendo Arthur completamente afastado dos eventos. Ele diz que deixe os mortos enterrarem os mortos. É aqui que o filme termina.

A atuação

Já que o filme é muito dirigido pelos personagens, performances sólidas foram necessárias para tornar o filme relacionável e divertido. E os atores do filme fazem mais do que apenas representar seus papéis. Eles completam o filme com suas performances incríveis. Gregory Peck se destaca em seu papel como Atticus Finch. Ele é um ator metódico e podemos ver claramente que ele personifica o personagem conforme ele acerta o sotaque sulista. Suas cenas no tribunal foram realmente ótimas e ainda são consideradas um de seus melhores trabalhos. Gregory até ganhou o Oscar de melhor ator por seu papel. Robert Duvall retrata o personagem de Arthur Radley. Foi sua primeira estreia no cinema. Embora breve, ele afirma sua presença na tela pelo pouco tempo que passa em uma cena. Os outros atores também eram muito bons em seu trabalho, especialmente os atores infantis. Mary Badham, como mencionado antes, foi indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante. O ator que interpreta Tom Robinson é Brock Peters. Sua cena emocional no tribunal é bastante contundente enquanto ele acerta o caráter de um homem que está condenado desde o início.

O fim

O final do romance faz uma comparação entre Arthur Radley e Tom Robinson, ambos rejeitados pela sociedade. O filme também termina com esta nota. Arthur Radley é um indivíduo excêntrico que se tornou um recluso e se retirou da sociedade, mas Scout, seu irmão Jem e seu amigo Dill o trouxeram de volta à sociedade. O xerife Tate acha que não será uma boa ideia trazer Arthur aos olhos do público, pois ele é um recluso, em vez disso, ele diz que contará uma série diferente de eventos em que Bob acaba caindo em sua própria faca e morrendo. Ele diz que deixe os mortos enterrarem os mortos. Esta versão dos eventos pode dar a ideia de justiça divina, onde Bob é punido por cometer o pecado. O pecado de matar um Mockingbird. Aqui, Tom Robinson representa o Mockingbird.

Palavra final

To Kill a Mockingbird é quase um filme perfeito. O único problema que tenho com o filme é que descobri que personagens negros não recebiam muitos diálogos. Por exemplo, quando Atticus vai à casa de Tom para contar a notícia da morte de seu marido, ela não diz nada. Acho que pode ser porque o diretor está tentando mostrar a opressão dos negros. Mas eu gostaria de ver um pouco mais de diálogos entregues por eles. Eu sinto que o filme muda o tom da opressão dos negros para a grandeza de um liberal branco. Pessoalmente, eu gostaria que fosse um pouco mais uniforme.

Enfim, dito e feito, o filme merece toda a atenção que recebeu. É um daqueles filmes que o deixa com uma sensação boa sobre este mundo em que vivemos. Se você gosta de livros, eu sugiro fortemente que você leia ‘To Kill a Mockingbird’ antes de assistir ao filme. Valerá bem o teu tempo.

Copyright © Todos Os Direitos Reservados | cm-ob.pt