O Fim do Advogado do Diabo, Explicado

Aqueles que entrarem em ‘The Devil’s Advocate’ sem nenhum conhecimento prévio do filme irão, a princípio, assumir que se trata de algum tipo de drama de tribunal. Em seus momentos iniciais, Keanu Reeves pode ser visto como um típico advogado astuto que tenta defender seu cliente mesmo depois de saber que ele é culpado de molestar um de seus alunos menores de idade. Mas à medida que o filme repleto de estrelas avança, Al Pacino junta-se ao elenco e traz ao filme uma reviravolta sobrenatural que você não esperava. Seu enredo bem elaborado explora temas de ganância, orgulho, tentação e vaidade e leva a um final distorcido, mas satisfatório. Então, mais adiante neste artigo, vamos analisar o final do filme.

Resumo do lote

Keanu Reeves desempenha o papel de Kevin, um advogado muito jovem e bem-sucedido que analisa os casos mais difíceis e tem um histórico perfeito. Mas quando se trata de defender um molestador de crianças que ele sabe ser culpado, Kevin começa a questionar sua própria moral. Quando o juiz anuncia um intervalo, Kevin vai até o banheiro e questiona suas intenções. Esta 'cena do banheiro' específica desempenha um papel significativo no filme, pois se torna um ponto de inflexão na vida de Kevin. Mas mesmo depois de ponderar sobre seu senso de moralidade, suas boas intenções são superadas por sua vaidade para manter sua seqüência perfeita de vitórias. E assim, ele defende seu cliente e ganha o caso. Depois de resolver um caso tão difícil, ele é convidado a ir para Nova York para trabalhar para um dos mais prestigiados escritórios de advocacia, liderado por John Milton (Al Pacino).

De advogado de classe média, Kevin se torna uma história de sucesso da noite para o dia e passa a viver em um luxuoso bangalô em Manhattan com sua esposa Mary Ann ( Charlize Theron ) Mas o que inicialmente parece sua escada para o topo logo é obscurecido por ocorrências sobrenaturais que assombram sua esposa. Nesse ínterim, ele deve defender um bilionário acusado de matar sua esposa, filho e empregada doméstica. Determinado demais a fazer algo com sua carreira, Kevin trabalha muito em seu caso, mas negligencia Mary Ann. Como resultado, Mary Ann perde a cabeça e mais tarde até se mata.



O Plano do Diabo

Depois do suicídio de sua esposa, Kevin finalmente acorda e percebe que há algo muito errado com John. Quando o confronta, John revela que ele é “O Diabo” e dirige um poderoso escritório de advocacia apenas para estabelecer o controle sobre o mundo. É ainda revelado que Kevin, que foi previamente informado por sua mãe que seu pai morreu antes dele nascer, foi enganado. Na verdade, John, o próprio diabo, é o pai de Kevin.

John revela que teve vários filhos com humanos, mas entre eles, Kevin e Christabella, meia-irmã de Kevin, são suas melhores criações. Ele diz a eles que agora espera que concebam um filho, que não apenas será “O Anticristo”, mas também será o futuro herdeiro do escritório de advocacia. Kevin percebe que sua seqüência de vitórias foi apenas o resultado do Diabo tentando acariciar seu ego e preparar o terreno para seu ato final. Essa percepção faz Kevin questionar sua própria moral novamente e, em vez de cair na armadilha do Diabo, ele atira em si mesmo.

O final: o laço da vaidade

Justamente quando Kevin puxa o gatilho de sua arma e explode sua cabeça, ele se encontra no mesmo banheiro onde questionava sua moralidade no início. Ele percebe que o que acabou de ver foi uma mera visão do que aconteceria se ele escolhesse trilhar o caminho de aperfeiçoar sua própria vaidade. Muito bem ciente das consequências de suas decisões agora, Kevin leva o caso em uma direção totalmente diferente e, em vez de proteger o molestador de crianças, ele se recusa a defendê-lo.

Nos momentos finais do filme, um repórter se aproxima de Kevin e implora uma entrevista. O repórter até o atrai, alegando que ele fará dele uma grande estrela e Kevin aceita a oferta. O repórter então se transforma em John Milton, o que revela que este foi apenas mais um plano deduzido pelo diabo para tornar Kevin uma vítima de sua vaidade novamente. “Vaidade, definitivamente meu pecado favorito”, ele diz e coloca Kevin no caminho errado novamente.

John Milton continua afirmando que a vaidade é seu vício favorito porque ele percebe muito bem que é algo que ele e Kevin têm em comum. Além disso, ao longo de sua vida, Milton se certificou de que Kevin nunca experimentasse perda ou derrota de qualquer tipo. Como resultado, Kevin acabou se tornando alguém obcecado apenas por vencer, o que tornava a dor de perder insuportável para ele. Mas depois de ser puramente impulsionado por sua vaidade e seu desejo de ganhar todos os casos, ele percebeu que ainda vai acabar perdendo uma coisa ou outra. Portanto, sua experiência anterior com o diabo serve de alerta, o que o faz perceber que seguir seu código moral é mais importante do que vencer todos os casos. Ao contrário, porém, Milton está determinado a usar Kevin para seu plano sinistro de criar O Anticristo e governar o mundo. Portanto, enquanto Kevin continuar resistindo à sua vaidade, Milton provavelmente continuará encontrando novas maneiras de atraí-lo para sua armadilha. E já que Kevin é apenas um humano normal, ele acabará por quebrar. É, de fato, uma vitória para o diabo.

Copyright © Todos Os Direitos Reservados | cm-ob.pt