Onde está Ryan Duke agora?

Em 2005, o desaparecimento da amada professora de ensino médio Tara Grinstead causou ondas de choque na cidade de Ocilla, na Geórgia. Por doze anos, os policiais e investigadores particulares tentaram descobrir a verdade e levar o caso à sua conclusão merecida, mas não deu em nada. Eventualmente, uma denúncia anônima veio e dois homens foram presos em relação ao caso Grinstead. Um homem chamado Ryan Duke foi acusado do crime. Quem é ele e onde está agora? Vamos descobrir.

Quem é Ryan Duke?

Ryan Duke entrou em cena no caso Grinstead quando foi acusado do assassinato de Tara Grinstead, doze anos após seu desaparecimento. Acontece que ele havia concluído sua educação na Irwin County High School, onde Grinstead costumava trabalhar, três anos antes de desaparecer, e eles podem ter entrado em contato lá.

Olhando para a vida de Duke, não há muito histórico criminal. Ele foi preso uma vez, por DUI, em 2010, e mais tarde foi libertado sob fiança. Há relatos de que ele foi colocado sob vigilância de suicídio durante esse tempo, mas nada de muito sério saiu de todo o incidente. Foi em 2017 quando Bo Dukes revelou seu envolvimento no caso Grinstead e apontou o dedo para Ryan Duke. Os dois homens surpreenderam os policiais, que afirmaram que eles 'nunca apareceram no radar'. Bo Dukes disse a eles que ele e Ryan queimaram o corpo de Grinstead no pomar de nozes da Hudson Pecan Company e, quando a área foi revistada, alguns fragmentos de ossos humanos foram encontrados lá.



Uma reviravolta interessante ocorreu quando uma confissão de 11 páginas de Ryan Duke foi postada na página de discussão do podcast Up and Vanished. Não foi confirmado a origem dos documentos, e a postagem foi removida. Alega-se que no documento, Duke confessou ter matado Grinstead e contou tudo sobre o que havia acontecido naquela noite. De acordo com ele, ele invadiu a casa de Grinstead para roubar dinheiro para comprar drogas, mas foi surpreendido por ela quando ela voltou de repente para casa. Ele a golpeou com o punho e fugiu. Mais tarde, ele usou um telefone público para ver se ela atenderia, mas quando ela não atendeu, ele se convenceu de que ela havia morrido. Ele, então, voltou para a casa dela e moveu seu corpo para o pomar de nozes usando a picape de Bo Dukes. Mais tarde, ele não apenas confidenciou seu segredo a Bo, mas também usou sua ajuda para queimar o corpo.

Onde está Ryan Duke agora?

Veja esta postagem no Instagram

Ryan Duke no tribunal, gravando para o podcast.

Uma postagem compartilhada por Up and Vanished (@upandvanished) em 9 de março de 2017 às 15:22 PST

Logo após sua prisão, Ryan Duke foi indiciado pelas acusações de homicídio doloso, homicídio doloso, agressão agravada, roubo e ocultação da morte de outrem, de todos os quais se declarou inocente. Seus advogados exigiram que o caso fosse arquivado porque o estatuto de limitações já havia sido aprovado e pediram que o julgamento fosse transferido para outro local no condado de Irwin. Ambas as demandas foram negadas pelo tribunal.

Para seu álibi, Duke alegou que esteve em sua casa móvel em Fitzgerald a noite inteira. Ele estava lá com seu irmão, Stephen, e seus amigos, Bo Dukes e Ben McMahan. Em algum momento da noite, Bo e Ben foram embora, enquanto ele e Stephen estavam dormindo. No entanto, quando se tratou de corroborar, Stephen testemunhou, no julgamento de Bo Dukes, que ele não poderia confirmar nada disso. O relato de McMahan não pôde ser levado, pois ele havia falecido antes de Ryan e Bo serem presos.

Foi marcada uma data para o início do julgamento de Ryan Duke, mas surgiu um obstáculo quando seus advogados entraram com um recurso de emergência para interrompê-lo. Eles queriam que o estado financiasse o pagamento de pessoas como investigadores particulares e testemunhas especializadas da Duke. Quando o tribunal negou o pedido, eles o levaram ao Supremo Tribunal da Geórgia, que disse não ter jurisdição sobre o assunto e o assunto foi devolvido ao juiz Reinhardt, que havia presidido o caso originalmente.

De acordo com o tribunal, Ryan Duke tornou-se inelegível para os fundos do estado quando optou por procurar advogados particulares em vez de defensor público. No entanto, seus advogados, que trabalham pro bono, afirmam que mesmo nessa situação ele deveria receber o devido dinheiro para garantir um julgamento justo. Até agora, nenhuma data foi definida para o julgamento e Ryan Duke continua na prisão.

Copyright © Todos Os Direitos Reservados | cm-ob.pt