12 melhores filmes de Voyeur de todos os tempos

Voyeurismo é um tópico que imediatamente nos faz emergir em uma atmosfera de mistério arrepiante e imoralidade, já que o significado inicial do termo deriva da palavra francesa 'voir', que significa 'ver' e está relacionado ao ato de observar secretamente atividades íntimas de indivíduos desconhecidos. Embora originalmente associado à conotação sexual, esse conceito generalizou-se no ato de espionar, frequentemente encontrado como tema de vários grandes filmes feitos ao longo do tempo. Todos eles abordaram este tópico de maneira diferente, alguns mais perturbadores do que outros. Então, para entrar neste mundo inquietante de voyeurismo, vamos listar os melhores filmes de voyeur de todos os tempos. Você também pode assistir a alguns desses melhores filmes de voyeur no Netflix, Hulu ou Amazon Prime.

12. Vídeo Voyeur: The Susan Wilson Story (2002)

Este drama televisivo de Tim Hunter conta a história de Susan Wilson, interpretada por Angie Harmon, cuja vida tomou um rumo diferente quando sua privacidade total foi perturbadamente violada por seu vizinho 'agradável'. Com base em fatos reais, mostra como sua casa foi totalmente equipada com câmeras ocultas, filmando cada movimento dela e de sua família, durante semanas de vida diária insuspeita. Este relato é parte de uma etapa importante na história, pois foi a história de Susan que permitiu tornar o voyeurismo de vídeo ilegal perante a lei.



11. Alone With Her (2006)

Este filme é bastante simples em seu enredo e estrutura, mas contém a diferença de consistir totalmente em imagens filmadas da perspectiva de câmeras ocultas. Essas câmeras ocultas, que vêm em diferentes ângulos e posições, são as ferramentas de Doug para satisfazer sua mente psicopata doente e obsessiva. Interpretado por Colin Hanks, este homem persegue uma jovem chamada Amy (Ana Claudia Talancón), primeiro em uma nota de observação até que as coisas sobem um nível e começam a ficar confusas. Voyeurismo em seu significado central, imerso nas possibilidades tecnológicas de hoje. Uma visão perturbadora de como a ficção encontra o realismo.

10. Lost Highway (1997)

No meio do mundo único e incompreensível de David Lynch, há 'Estrada Perdida' que, através de seu caos surrealista e bizarro, nos dá um personagem central, mais uma vez, voyeurismo misterioso e preocupante. Antes de se transformar em uma história mais complexa e insana, Fred (Bill Pullman) e Renée (Patricia Arquette) recebem fitas de vídeo na entrada de sua casa contendo imagens do interior de sua casa e do casal dormindo. Através do abstrato e da pluralidade de interpretação de Lynch, este filme onírico nos mergulha em uma fantasia imaginativa que pode nem sempre ser muito compreensível. Esse pode até ser o ponto, quem sabe.

9. Oi, mãe! (1970)

Esta comédia negra de Brian De Palma, estrelada pelo jovem Robert De Niro, oferece uma abordagem mais alegre sobre o voyeurismo, com um enredo estruturado original e técnicas de filmagem, repleto de truques de edição modernos que aumentam o clima nesta lista geralmente obscura de temas. Jon se muda para um pequeno apartamento em Nova York e instala uma câmera em sua janela, filmando as atividades aleatórias de seus vários vizinhos. Por meio de visuais com cores variadas e novas, “Oi, mãe!” oferece uma abordagem divertida e inovadora, em um conceito voyeurístico mais inocente e criativo.

8. Disturbia (2007)

Este thriller de terror estrelado por Shia LaBeouf é tudo que você precisa para uma experiência emocionante de suspense na noite de domingo. Depois de ser condenado a três meses de prisão domiciliar, Kale (LaBeouf) começa a espionar regularmente as atividades de seus vizinhos através de seu quarto com um par de binóculos, apenas para se ver testemunhando o assassinato de um indivíduo desconhecido. As coisas ficam mais apimentadas e perigosas, mostrando os riscos a que a curiosidade pode levar você.

7. Body Double (1984)

Este thriller erótico americano foi dirigido pelo notável cineasta Brian De Palma e oferece uma trama interessante e original que gira em torno de um ator esforçado, Jake Scully (Craig Watson) e as complicações que sua atitude voyeurista traz. Ele usa um telescópio para observar agradavelmente uma vizinha sensual executando danças eróticas à noite até que de repente vê a mulher sofrendo abuso de um homem desconhecido. A partir daí, as coisas dão uma reviravolta, levando-o a uma outra história. Quando o voyeurismo encontra a obsessão e as direções principais de De Palma, é isso que você obtém.

6. Foto de uma hora (2002)

Este filme aclamado pela crítica, e com razão, oferece uma atuação incrível do talentoso Robin Williams no papel de um técnico fotográfico quieto e perturbado em uma megastore. Sy torna-se obcecado doentiamente por uma família com quem desenvolve fotos há anos e sua atitude voyeurística aumenta com o desenrolar dos acontecimentos. Consumindo fanaticamente todo o seu ser com a intrusão em suas vidas, este personagem perseguidor te dá arrepios enquanto faz com que você desenvolva algum tipo de empatia e tristeza por este homem confuso e perturbado. Um cinco estrelas imperdível.

5. American Beauty (1999)

“American Beauty” é conhecido por ser um clássico e talvez um dos melhores filmes já feitos. Ele contém tanta profundidade em uma variedade de assuntos e emoções que seria impossível descrevê-lo em uma palavra. Também aqui, podemos encontrar traços de voyeurismo nas ações do personagem. Não apenas pela óbvia espionagem de Ricky e sua câmera de vídeo em Jane e seu pai através das janelas vizinhas, mas também por Lester na bela loira Angela e finalmente Frank tirando conclusões falsas ao observar seu filho e vizinho juntos em um quarto. Enfim, essa vigilância sorrateira, todas diferentes em suas formas e propósitos, vai levar a uma tragédia irreparável, que, no entanto, torna este filme tão bonito quanto é.

4. Sendo John Malkovich (1999)

Este filme absolutamente brilhante é uma obrigação para todos os amantes do cinema. Aborda o tema do voyeurismo de uma forma bastante diferente e criativa, em comparação com a usual atmosfera sinistra em que normalmente estamos imersos. Craig Schwartz, interpretado por John Cusack, é um titereiro que se encontra na mente do ator John Malkovich, por meio de uma passagem misteriosa que ele descobre em seu local de trabalho. Essa forma surreal de “observar um estranho” e literalmente ocupar sua privacidade mais íntima se desenrola perfeitamente nesta fantasia alucinante e hilária dirigida por Spike Jonze.

3. Oculto (2005)

O thriller psicológico francês, com o título original “Caché”, teve sua estreia no Festival de Cannes, onde Michael Haneke ganhou o prêmio de Melhor Diretor. Segue-se um casal parisiense cuja vida vira de cabeça para baixo quando começa a receber videocassetes sem nome mostrando longas filmagens estáticas do exterior de sua casa. Esses “presentes” assumem formas diferentes e tornam-se cada vez mais estranhos, aumentando o medo perturbador de uma família confusa. Este filme aclamado pela crítica, estrelado por Daniel Auteuil e Juliette Binoche, vale a pena ser assistido por seu tom envolvente e cheio de suspense que leva o enredo adiante.

2. Janela traseira (1954)

Considerado por muitos um dos melhores filmes de Hitchcock, “Janela Indiscreta” é um thriller de mistério onde Jeff (James Stewart) observa um punhado de indivíduos que vivem no prédio vizinho, depois de ser pressionado a uma cadeira de rodas devido a uma perna quebrada. Ao perceber o desaparecimento de uma mulher, ele suspeita que seu marido a assassinou a sangue frio e busca descobrir a verdade com a ajuda de sua namorada Lisa (Grace Kelly). Com esse excelente resultado, o voyeurismo certamente foi colocado nas mãos certas para que essa história brilhasse tanto. Com o talento natural de Hitchcock na criação de suspense e drama, aqui está um clássico que definitivamente encontrou seu lugar no misterioso mundo do cinema. No entanto, não podemos esquecer outra obra-prima que inclui um “peeping tom” muito mais assustador e é talvez a mais conhecida da obra deste gênio: “Psycho” (1960) e o pequeno buraco na parede perturbador, através do qual Norman vislumbra corpo elegante de sua vítima.

1. Peeping Tom (1960)

Este filme de terror psicológico de 57 anos foi tão polêmico na época de seu lançamento que praticamente destruiu a carreira do diretor Michael Powell. No entanto, agora é considerado por alguns uma obra-prima em violência sexual e voyeurismo perturbador, após ter sido relançado 19 anos depois por Scorsese e outros admiradores. É estrelado por Carl Bohm como Mark, um homem mentalmente perturbado obcecado pela natureza do medo, que ele grava em sua câmera escondida enquanto assassina mulheres inocentes. Este aspecto brutal do voyeurismo é encontrado adicionalmente no histórico deste personagem, por meio de seu pai também obsessivo que costumava experimentar o medo em seu próprio filho. Muito filmado e rodado, e tendo o voyeurismo como um de seus temas centrais, ele impulsiona questões interpretativas sobre quem realmente é o “peeping tom”? O público poderia estar participando dessa prática perversa do olho?

Copyright © Todos Os Direitos Reservados | cm-ob.pt