‘O Maquinista’, Explicado

O escritor americano William Faulkner disse certa vez: 'Pessoas para quem o pecado é apenas uma questão de palavras, para elas a salvação são apenas palavras também.' Talvez essas palavras não sejam apenas para o papel, mas para a própria vida. Quantas pessoas cometem pecado e buscam obter a salvação? Quantos procuram viver uma vida sem culpa enquanto cometem pecados pelo caminho? Essas perguntas, embora bastante difíceis de responder, talvez sejam mais bem respondidas pelo perturbado Trevor Reznik no thriller psicológico 'O Maquinista'.

Dirigido pelo escritor e cineasta americano Brad Anderson, ‘The Machinist’ segue a vida de Trevor Reznik, um maquinista que sofre de insônia e problemas psicológicos. Este desconforto mental constante faz com que ele tenha lutas e discussões contínuas com seus colegas de trabalho. Sua saúde mental em deterioração o levou a ser demitido do local de trabalho após um grave acidente envolvendo um colega de trabalho. Com ele sendo condenado ao ostracismo pela sociedade, o filme narra sua espiral descendente de paranóia e ilusão.

Liderado pelo ator britânico Christen Bale, o filme é conhecido por suas profundas conotações psicológicas e ideias de salvação e culpa. Parte do espectro da filmografia inicial de Bale, que o rotulou como um ator metódico, o filme é perfeitamente moldado por sua atuação arrepiante. Escrito pelo roteirista americano Scott Kosar, o filme é intrinsecamente construído em torno do desenvolvimento do personagem que formula o discurso narrativo subsequente. Ajudá-lo está a cinematografia sombria de Xavi Giménez, que mostra o desconforto mental, a dor e o trauma de Trevor.



A narrativa do filme é entrelaçada por uma variedade de temas, motivos e símbolos que estruturam o thriller psicológico. De aspectos como autoconhecimento, tendências comportamentais da sociedade, culpa e consciência, ‘O Maquinista’ é um conto de salvação inatingível. Neste artigo, tento entender como a narrativa de 'O Maquinista' se desenrola em direção ao clímax chocante. Este artigo desconstrói o enredo e discute posteriormente os temas, motivos, símbolos e personagens que constituem a essência do filme.

O enredo

‘The Machinist’ é estrelado por Christian Bale como o maquinista titular, Trevor Reznik, que sofre de insônia e, portanto, está imensamente emancipado. Sua saúde e aparência deterioradas mantêm seus colegas de trabalho afastados. As coisas pioram com eles se voltando contra ele quando ele se envolve em um acidente que faz com que seu colega de trabalho, Miller, perca o braço esquerdo, por estar sendo distraído por um colega de trabalho desconhecido chamado Ivan. Ele é condenado ao ostracismo quando se descobre que nenhum dos trabalhadores conhece Ivan, fazendo com que eles suspeitem que Trevor seja insensível e louco. No entanto, Trevor tem uma fresta de esperança em Stevie, uma prostituta com afeto genuíno por ele, e com Maria, uma garçonete em um restaurante de aeroporto que ele frequenta.

Trevor também é assombrado por breves flashes de imagens e pesadelos recorrentes. Para aumentar a escuridão, uma série misteriosa de post-its aparece em sua geladeira, descrevendo um jogo de carrasco. Continuamente preocupado com os incidentes vagos que o enviam ainda mais à paranóia, ele tenta estabelecer um relacionamento com Maria. Em uma série de eventos, ele conhece ela e seu filho, Nicholas, em um parque de diversões. Interessado em um passeio pela casa chamado “Rota 666”, Trevor acompanha Nicholas, mas as coisas vão mal, pois luzes piscando fazem com que a criança tenha um ataque epiléptico. Essas ocorrências bizarras contínuas deixam Trevor paranóico e ele começa a suspeitar que os eventos bizarros são um esforço concentrado de alguém para deixá-lo louco. Em uma tentativa de compreender esses eventos anormais, Trevor localiza várias pequenas pistas. Uma foto de Ivan pescando com Reynolds, colega de trabalho de Trevor, que ele descobre na carteira de Ivan quando este o deixa sozinho em um pub, o leva a mais especulações. No entanto, a paranóia contínua de Trevor faz com que ele ataque as pessoas e se distancie completamente de todos. Trevor esquece de pagar suas contas de serviços públicos e sua eletricidade é desligada.

Em meio a esse isolamento, Trevor um dia percebe que um líquido escuro e viscoso começa a escorrer do freezer, cobrindo a porta da geladeira com manchas do que parece ser sangue. Mais uma vez suspeitando da mão de Ivan nisso, Trevor, a fim de confrontá-lo, tenta rastrear sua placa de carro. Ele segue o carro de Ivan para ler a placa, mas fica sem gasolina durante a perseguição. Ele tenta obter o número de um funcionário do DMV, mas é informado de que as informações pessoais não podem ser divulgadas a menos que um crime tenha sido cometido. Ao ouvir isso, Trevor se joga na frente de um carro para acusar Ivan de cometer um atropelamento e fugir. No entanto, enquanto preenche um boletim de ocorrência com a placa do carro de Ivan, Trevor fica sabendo que o carro é seu, que ele havia denunciado a destruição do veículo há um ano. Sem outra opção, Trevor foge da delegacia para morar com Stevie. Enquanto as coisas parecem alegres, ele encontra a foto de Ivan e Reynolds emoldurada em sua casa e a acusa de conspirar contra ele. Confuso, Stevie diz que a foto é de Reynolds e Trevor, mas ele se recusa a olhar para ela e é expulso após um conflito verbal.

Para encontrar alguma compaixão, Trevor vai encontrar Maria no restaurante do aeroporto, mas para seu choque, é informado por uma garçonete desconhecida que eles nunca tiveram uma funcionária chamada Maria. A garçonete no balcão diz a Trevor que o serviu todos os dias durante um ano, e durante todo esse tempo ele falou tão pouco que ela começou a pensar que ele era mudo.

Mais tarde naquele dia, Trevor nota Ivan levar Nicholas para o apartamento de Trevor. Temendo a segurança de Nicholas, ele confronta Ivan, apenas para matá-lo após uma briga. Em uma tentativa de esconder o corpo, Trevor tenta impedir Ivan em um tapete, mas de repente tem flashbacks de uma foto que mostra Trevor com Reynolds, que ele viu no apartamento de Stevie. Então, ao tentar se livrar do corpo de Ivan enrolando-o em um tapete e jogando-o no oceano, ele descobre que não há ninguém no tapete. De repente, uma tocha pisca para ele por trás, e é revelado que Ivan está, para a maior confusão de Trevor, vivo.

Trevor percebe que estava alucinando de culpa, olhando para um espelho, balbuciando as palavras: 'Eu sei quem você é.' É revelado que há um ano Trevor atropelou e matou um menino idêntico a Nicholas depois de tirar os olhos da estrada para usar o isqueiro do carro, que foi testemunhado pela mãe do menino, idêntico a Maria. Temendo ser processado, ele decidiu ir embora. No entanto, este ato, de covardia e injusta, resulta em um sentimento de culpa, causando, portanto, insônia, emaciação e memória reprimida. Em seguida, é revelado que Ivan é uma invenção da imaginação de Trevor e uma manifestação de si mesmo antes do acidente. Trevor caminha em direção ao jogo da forca acima mencionado, preenchendo as letras que faltam, que significam 'assassino'. Na tentativa de escapar, ele reconsidera sua decisão e dirige para a sede da polícia. Ele vê Ivan, encorajando sua decisão, e na recepção da delegacia, ele confessa o caso de atropelamento. Dois policiais escoltam Trevor até uma cela, onde ele declara que deseja dormir e o faz pela primeira vez em um ano.

Insônia

A insônia é o primeiro símbolo que ajuda os espectadores a entender o estado de espírito de Trevor. A narrativa principal começa com Trevor contemplando sua disparidade de não conseguir dormir e a narrativa termina com ele finalmente conseguindo dormir bem. A privação do sono é empregada para abordar o tema da salvação. Pode-se contestar o fato de que as alucinações faziam parte de um pesadelo, comprovando o fato de que ele não sofre de insônia, mas de pesadelos horríveis. Essa teoria tem alguma plausibilidade, pois ele pode ter alucinações enquanto cochila durante o dia, como resultado de sua incapacidade de dormir à noite. Quando Trevor descobre que Ivan, Maria e Nicholas eram apenas partes de sua alucinação cheia de culpa, isso mostra a instabilidade de sua mente. O filme não contesta o tema insônia. É apenas um meio de esboçar seus traços de caráter sucessivos. O filme emprega a insônia como metáfora de sua privação de sono por culpa e culpabilidade.

Culpa

O dispositivo narrativo que desencadeia o arco do personagem de Trevor é o tema da 'culpa'. Ao longo da progressão do filme, notamos um ar arrepiante pairando sobre a narrativa. Trevor mostra-se imensamente emancipado. Em uma cena, enquanto conversava com sua namorada Stevie, Trevor, brincando, projeta suas costelas, exibindo uma imagem angustiante de seu corpo. Sua saúde se deteriora, pois ele sofre de insônia e tem pesadelos terríveis.

‘The Machinist’ aborda uma variedade de teorias de 'psicologia anormal'. O filme explora a culpa que desempenha um papel crucial no desenvolvimento do desconforto mental e, no caso de Trevor, da insônia à paranóia delirante. O aumento do foco na alucinação de Trevor também aponta para o aspecto da 'esquizofrenia induzida pela culpa'. O comportamento errático de Trevor tem influências de certos tipos de transtorno bipolar e transtorno de alucinações auditivas. A narrativa também trata da mudança intrínseca de comportamento de Trevor auxiliada pela neurose subjacente, que conecta o comportamento de Trevor e sua culpa. Trevor mostra sintomas de TOC e, como vemos, seus comportamentos de limpeza compulsivos. Se olhado com atenção, ele fica obcecado em lavar as mãos. O filme conecta seu TOC com a culpa, pois a lavagem das mãos simboliza Trevor lavando o sangue de suas mãos.

O Final e os Personagens

Ivan:Ivan foi criado como um meio de representar a culpa de Trevor. Com a consciência perturbada, Ivan atua como uma manifestação de si mesmo e de seu passado. Ivan não é apenas a manifestação de sua culpa, mas também uma manifestação de si mesmo. Nas cenas culminantes, enquanto Trevor tenta forçar uma confissão de Ivan, descobre que o carro de Ivan é realmente seu. Ele costumava dirigir o mesmo carro que Trevor aparentemente destruiu após o acidente. Também vemos que Ivan tem uma aparência estranha, principalmente o polegar decepado, que é substituído por um dedo do pé. A aparência simboliza o pecado que Trevor cometeu. A presença de Ivan é um lembrete constante do ato insensível de Trevor. No final, quando Trevor se entrega, Ivan sorri, aprovando com reconhecimento. O papel de Ivan havia alcançado seu verdadeiro propósito.

Marie e Nikolas:Embora Marie e Nicholas pareçam ser as únicas pessoas com nobres e boas intenções, aprendemos que também é uma invenção da imaginação de Trevor. Criado por ele em uma tentativa de diminuir sua profunda onda de culpa, a lenta progressão da insanidade é desencadeada. Acontece que Nikolas era a criança que Trevor matou acidentalmente e Marie era sua mãe. Em uma profunda sensação de viver em um mundo sem consequências, o vínculo que Marie e Nicholas compartilham com ele é sua maneira de aliviar o fardo da culpa. Também lança luz sobre o fato de que o consideram um “homem bom”, um elogio que ele tentou provar a si mesmo sua consciência limpa e justa.

O tempo também prenuncia seu papel em suas experiências alucinatórias. Trevor e a dupla mãe e filho decidem se encontrar no parque de diversões em1:30, a hora exata do acidente. Também revelou que Trevor e sua mãe costumavam visitar o mesmo parque de diversões. O vínculo Maria e Nicolau significa a relação compartilhada por uma criança e sua mãe - um fator que o assombra ainda mais.

Razões

Rota 66:A importância da morte de Nicolas é demonstrada pela primeira vez quando ele sofre um ataque epiléptico enquanto ele e Trevor cavalgam na 'Rodovia para o Inferno'. A curta viagem apresenta o estado de espírito atormentado de Trevor. Quando Nicholas sofre o ataque, Trevor obedientemente o leva ao hospital, o que ele deveria ter feito no acidente. O ataque epiléptico de Nicholas é apenas uma parte da alucinação e um meio de justificar o fato de que Trevor é um homem de atos e pensamentos nobres.

O refrigerador e as notas:A geladeira e as notas presas a ela também têm uma importância imensa em esboçar o estado emocionalmente perturbado de Trevor. Há tomadas únicas da geladeira e, em uma cena, o sangue jorra, aumentando os níveis de curiosidade. As notas, que na verdade são um jogo da forca, são preenchidas por alguém e não está claro quem completa o jogo. No entanto, como revelado mais tarde, o jogo foi concluído pelo próprio Trevor. Talvez seja sua culpa que escreve a palavra de seis letras - “Killer”.

Palavra final

‘The Machinist’ é uma visão profunda e sombria da psique de uma pessoa. Ele explora os temas como tensão e nervosismo. Com um roteiro coeso e uma direção bem executada, o personagem de Bale mostra como a culpa pode deixar uma pessoa louca, o que pode resultar em consequências muito mais mortais.

Leia mais em Explainers: Começo | Shutter Island

Copyright © Todos Os Direitos Reservados | cm-ob.pt